terça-feira, 26 de julho de 2011

Como enfrentar o fim dos tempos vitoriosamente.

INTRODUÇÃO

1. O apóstolo Paulo está preso num calabouço romano. Está na sala de espera do martírio. A fornalha da perseguição contra a igreja está acesa. Paulo está dando suas últimas recomendações a Timóteo, um pastor jovem, doente e tímido a como enfrentar o tempo do fim. Paulo está passando para ele o bastão do evangelho.
2. Paulo diz que precisamos saber algumas coisas: 1) Esse tempo não é fácil para se viver (v. 1). Esses dias são furiosos, violentos (a mesma palavra usada para descrever o endemoninhado gadareno). 2) Que o caos da sociedade é resultado daquilo que os homens são (v. 2). O mal não está fora, mas dentro do homem.
3. Paulo dá quatro conselhos para se viver vitoriosamente nos últimos dias: FOGE (v. 5), SEGUE (v. 10), PERMANECE (v. 14), PREGA (4:2).

I. PRECISAMOS FUGIR DO ESPÍRITO QUE MARCA O FIM DOS TEMPOS – v. 1-9

1. O mundo está arruinado porque os homens estão invertendo os valores de Deus
• Paulo diz que as pessoas direcionam o seu amor para si mesmas, para o dinheiro e para o prazer: poder, dinheiro e sexo. O que está essencialmente errado com essas pessoas é que o seu amor está mal dirigido. Em vez de serem em primeiro lugar amigos de Deus são amantes de si mesmos, do dinheiro e do prazer.
• No universo há Deus, pessoas e coisas. Nós devemos adorar a Deus, amar as pessoas e usar as coisas. Mas se começamos adorando a nós mesmos, nós iremos ignorar Deus, amar as coisas e usar as pessoas. Este é o triste diagnóstico da sociedade.
a) Elas são egoístas (filautós) – As pessoas são narcisistas. Elas amam a si mesmas. Elas só se importam consigo mesmas. Com isso a família está se arrebentando: os casais já não sabem enfrentar crises. Fogem do casamento pela porta dos fundos do divórcio. 50% dos casamentos acabam. Nos últimos seis anos, o índice de divórcio na terceira idade cresceu 51% (Veja desta semana). 75% dos homens e 63% das mulheres cometem deslizes na área da fidelidade conjugal. As famílias estão em crise.
b) Elas são amantes do dinheiro (filarguros) – O dinheiro é o deus deste século. As pessoas matam, morrem, se casam e se divorciam por dinheiro. A globalização é uma realidade inegável. Das 100 maiores economias do mundo hoje, 51 são empresas. 51% da riqueza do mundo estão nas mãos de empresas. Há empresas mais ricas que nações. A General Motors é mais rica que a Dinamarca. A Ford é mais rica que a África do Sul. A Toyota é mais rica que a Noruega. O Wal-Mart é mais rico que 161 países. 50% da riqueza do mundo estão nas mãos de apenas 461 pessoas. Bill Gates tem uma renda líquida de 400 milhões por semana. O mercado globalizado exige cada vez mais tempo do trabalhador, para que ele consuma cada vez mais para fazer a ciranda do consumo girar. Há 30 anos 70% das famílias só um trabalhava para o sustento. Hoje mais de 70% das famílias precisam de duas rendas para manter o mesmo padrão. O poder econômico está se concentrando nas mãos de poucos e a base da pirâmide está ficando cada vez mais larga. Há 30 anos, o comércio da agro-indústria cafeeira movia o montante de 20 bilhões de dólares e 9% desse montante ficava com os países produtores. Hoje o comércio da agro-indústria cafeeira, move o montante de 80 bilhões de dólares e apenas 5% fica com os países produtores. Esses 75 bilhões ficam nas mãos de uma meia de dúzia de mega-empresas. Consumimos mais, mas relacionamo-nos menos. Os luxos de ontem são as necessidades do hoje. Antes de uma criança entrar na escola, ela já foi exposta a mais de 30 mil anúncios. As coisas estão tomando o lugar das pessoas. Os casais não têm tempo. Os pais não têm tempo para os filhos. Os crentes não têm mais tempo para Deus. O urgente está tomando o lugar do importante. Exemplos: Grandes empresários que contruíram impérios financeiros e perderam os filhos. Presentes não substituem presença.
c) Elas são amantes dos prazeres e não amantes de Deus – O lazer, a diversão, o culto ao corpo, o culto ao estômago, está tomando o lugar de Deus. A televisão, o cinema, o futebol, os salões de jogo, os jogos de internet estão ocupando a mente e o tempo dos crentes. Nossos adolescentes estão desperdiçando tempo em jogos banais no internet. Nossos juniores estão consumindo horas preciosas em entretenimento de nenhum valor. Nossos filhos passam 25 horas/semana diante da televisão e apenas 1 hora/semana estudando a Bíblia na Escola Dominical. Muitos estão faltando aula, caindo o rendimento escolar, tornando-se até mesmo rebeldes aos pais e endurecendo o coração em relação às coisas de Deus. Os nossos juniores e adolescentes e até jovens estão jogando o seu tempo precioso no esgoto: gastando tempo em casas de jogos como Lan-House, em jogos de internet como Tíbia, RPG, Última on-line, Counter-Strike, Warcraft 3, Batlefield. Muitos pessoas que frequentam a igreja ainda frequentam boates, clubes noturnos, casas de shows. O mundo está apanhando-os em sua rede.
d) Elas são soberbas – Jactanciosos (gabolas), arrogantes (altivos) e blasfemadores (os que têm opinião exagerada de si mesmos menosprezam os outros). Egocentrismo sem Deus.
e) Elas têm desestrutura familiar – Desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis.
f) Elas nocivas nos relacionamentos – Caluniadores (diaboloi), sem domínio de si (akrateis), cruéis, inimigos do bem (afilagatoi), traidores, atrevidos, enfatuados.
2. O mundo está arruinado porque a espiritualidade está divorciada da vida – v. 5-9
• Forma sem poder. Exterior sem interior. Palavras sem vida. Fé sem obras. Todos os problemas relatados acima não estão apenas descrevendo um mundo ímpio, mas pessoas religiosas. As pessoas frequentam a igreja, mas não mudam a vida.
• A igreja evangélica brasileira cresce em número, mas não em compromisso. Têm carisma, mas não caráter. Tem número, mas não vida. Há iniquidade associada ao ajuntamento solene. As pessoas entram para a igreja, mas não mudam o caráter.
• São como Janes e Jambres os mágicos que se opuseram a Moisés, imitando os milagres de Deus. Satanás é um imitador. Ele tenta imitar a Deus. Mas seu poder é limitado. Hoje, vemos uma religião de mimetismo, de propaganda, de performance, de imitações cênicas e grotescas das obras de Deus.
• Precisamos fazer uma cruzada de oração pela família. Estamos em crise. Há uma orquestração do inferno contra a família. O mundo, a carne e o diabo estão usando todas as suas armas para enfraquecer a família. Precisamos clamar a Deus pelos nossos filhos. Precisamos passar a elas como Paulo passou para Timóteo o bastão do evangelho. Como essa geração vai poder liderar a igreja de Deus se não sabe nem mesmo administrar o seu tempo?

II. PRECISAMOS SEGUIR O EXEMPLO DAQUELES QUE ANDAM COM DEUS – V. 10-12

• Timóteo estava rodeado de falsos mestres. Por isso, ele devia seguir o exemplo fiel de Paulo. Ele tinha que mirar um modelo. Precisamos de líderes que sirvam de modelo para os mais jovens. Precisamos de homens que falam a verdade e vivam a verdade.
• Hoje os mourões estão caindo. O que é um mourão? É o toco que sustenta as estacas. Os mourões estão tombando seja pela morte, seja pelo escândalo. Muitos daqueles que eram referências, estão naufragando. Os esteios estão caindo. Precisamos de modelos para esta geração (Antonio Elias, Wilson de Souza Lopes).
• Quais são as marcas de um mourão?
1. Suas vidas são abertas para todos verem – v. 10 a – “procedimento”. Praticam o que ensinam. Longanimidade, amor e perseverança.
2. Eles ensinam doutrina verdadeira – v. 10b – “ensino”.
3. Eles têm um propósito claro – v. 10c – O propósito de Paulo é expresso em At 20:24.
4. Eles estão prontos a sofrer – v. 11-12 – Piedade provoca antagonismo (v. 12). Os impostores querem glórias e não sofrimento, holofotes e não abnegação, aplausos e não dor (v. 13). Hoje os líderes religiosos buscam os holofotes. Eles promovem a si mesmos. Eles buscam as glórias do mundo. São heróis. Se auto-denominam bispos, apóstolos. Nada de abnegação nem sofrimento. Exemplo: um dos figurões do Brasil: bravo porque não ficou em Hotel 5 estrelas/cachê, etc.

III. PRECISAMOS PERMANECER FIÉIS À PALAVRA DE DEUS – V. 13-17

• Não obstante as centenas de livros evangélicos, as dezenas de bíblias de estudo, estamos vendo uma geração analfabeta da Bíblia. Os crentes não têm firmeza. Eles correm atrás das últimas novidades. Eles não examinam mais a Palavra. Não têm raízes, nem compromisso.
• A luz interior é mais importante do que a Palavra revelada. A experiência é mais importante do que a Verdade. As emoções estão no trono e a razão destronada. As buscam salvação, mas não o Salvador. Querem as bênçãos e não o abençoador. Querem as dádivas e não o compromisso.
1. A instabilidade dos impostures e a firmeza dos que permanecem na Palavra – v. 13-14
• As pessoas que abandonam a Palavra para buscar as novidades do mercado da fé seguem enganando e sendo enganadas. A vida é uma ciranda. Todo dia tem coisa nova. Há uma leveza, uma mutação constante. Nada é permanente. Cada dia é preciso inventar uma novidade: uma nova doutrina, uma nova prática, uma nova experiência. Mas quem está estribada na Palavra permenece firme.
• Precisamos em cada geração estar atentos para os perigos das inovações: 1) Misticismo pragmático; 2) Liberalismo Teológico; 3) Ortodoxia morta; 4) Experiencialismo intimista. Vivemos hoje a realidade de uma igreja pós-denominacional. Os líderes estão fundando igrejas empresas. Vêem a igreja como uma empresa familiar, uma fonte de lucro.
2. A superioridade da Palavra de Deus em relação ao engano dos impostores – v. 14-17
a) As Escrituras conduzem à Salvação – v. 15b – A Bíblia é essencialmente um manual de salvação. Ela explica o plano de salvação.
b) As Escrituras anunciam uma salvação Cristocêntrica – v. 15b – A salvação é por meio de Cristo.
c) As Escrituras são de origem divina – Ela é infalível, inerrante e suficiente.
d) As Escrituras tratam da doutrina e da conduta – v. 16-17 – 1) Ensino ou doutrina (o que é certo); 2) Repreensão (o que não é certo); 3) Correção (como se tornar certo); 4) Educação na justiça (como permanecer certo).

IV. PRECISAMOS PREGAR A PALAVRA COM SENSO DE URGÊNCIA – 4:1-4

1. A base da sua exortação – v. 1,3-4
a) Devemos olhar para o dia da prestação de contas – v. 1 – Jesus vai voltar. Ele vai julgar as nações, vai julgar a sua igreja, vai julgar os seus obreiros. Ele vai colocar o seu prumo em nós. Seremos encontrados fiéis? Estamos fazendo o que ele mandou? Estamos envolvidos com a proclamação da sua Palavra?
b) Devemos olhar para a tendência mística do homem – v. 3-4 – As pessoas não suportarão a verdade (v. 3-4). Eles correrão atrás das novidades. Sentirão coceiras nos ouvidos. Terão fome de novidades. Correrão atrás da bênção e não do abençoador. As pessoas vão correr atrás dos mestres das novidades (v. 3) – Pessoas que deixam a Palavra para consultar seus profetas e profetisas.
2. A natureza da exortação – v. 2
• A ordem de Paulo é pregar a Palavra e não sobre a Palavra.
• Deus não tem nenhum compromisso com a palavra do pregador, mas sim com a sua própria Palavra. A Palavra é fonte da mensagem e a autoridade do mensageiro.
• O mundo e a igreja estão precisando da Palavra. Há morte na panela e só a farinha da Palavra pode tirar a morte da panela. Há morte nas cátedras dos seminários, nos púlpitos, nos livros, nas músicas.
• Essa pregação é urgente – Insta quer oportuno quer não. Pregação é a proclamação de um homem à beira da morte para homens que estão morrendo.
• Essa pregação é contextual (corrige, repreende e exorta).
• Essa pregação é paciente (com toda longanimidade)
• Essa pregação é fiel (com toda doutrina).

CONCLUSÃO

1) Estamos vivendo uma crise de visão. Há 600 pastores flutuando na IPB e mais 300 novos. O campo é o mundo. Falta-nos visão. Preveríamos ser desafiados a plantar 900 novas igrejas.
2) A crise é uma encruzilhada: não podemos tomar o atalho do mundanismo nem o atalho do misticismo. Precisamos nos voltar para Deus e pedir para ele restaurar a nossa sorte a fim de que passamos o bastão do evangelho para a nova geração com fidelidade!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Glauce Lopes

Glauce Lopes
O D-us de Israel é o que tem todo poder!